2006
DOI: 10.1590/s0101-60832006000400003
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Relevância clínica de pesadelos em pacientes com transtorno depressivo

Abstract: ResumoIntrodução: Diversos estudos sugerem uma estreita relação entre pesadelos e o transtorno depressivo. O objetivo deste estudo foi detectar a prevalência de pesadelos em pacientes com transtorno depressivo e observar sua relação com idade, sexo, tempo de doença, gravidade do quadro depressivo e ideação suicida. Métodos: Sessenta pacientes foram entrevistados e avaliados por meio da escala de depressão de Beck (EDB) e da escala de ideação suicida de Beck (EIS). Os pesadelos foram avaliados segundo os critér… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
0
0
3

Year Published

2007
2007
2023
2023

Publication Types

Select...
5

Relationship

1
4

Authors

Journals

citations
Cited by 5 publications
(3 citation statements)
references
References 20 publications
(13 reference statements)
0
0
0
3
Order By: Relevance
“…Reforços à hipótese advém do exame de correlações de itens individuais de ambos os sistemas onde rotinas computacionais do processamento imagético Zoom Self e Zoom Não-Self encontram--se sistematicamente relacionados positivamente com o fator Ruminação de autoconsciência. É lícito inferir que a prevalência das correlações Zoom (Self e Não-Self) com Ruminação tem a ver com o caráter siderante de imagens mentais ocorrentes em quadros depressivos, ideação suicida e outras psicopatologias importantes (ver Botega, Barros, Oliveira, Dalgalarrondo, & Marín-León, 2005;Chellappa & Araújo, 2006;Freitas & Botega, 2002) que retratam e rememoram ad infi nitum possíveis experiências de desesperança, acontecimentos traumáticos e eventos/ situações de confl ito ao self, as quais são aproximadas (zoom) -incluindo aí objetos não-self pertencentes ao contexto imediato dessas cenas reais ou fantasiadas, e visualizadas com requintes patológicos de detalhes, aumentando o sofrimento psíquico e a sobrecarga cognitiva associadas aos pensamentos ruminativos.…”
Section: Discussionunclassified
“…Reforços à hipótese advém do exame de correlações de itens individuais de ambos os sistemas onde rotinas computacionais do processamento imagético Zoom Self e Zoom Não-Self encontram--se sistematicamente relacionados positivamente com o fator Ruminação de autoconsciência. É lícito inferir que a prevalência das correlações Zoom (Self e Não-Self) com Ruminação tem a ver com o caráter siderante de imagens mentais ocorrentes em quadros depressivos, ideação suicida e outras psicopatologias importantes (ver Botega, Barros, Oliveira, Dalgalarrondo, & Marín-León, 2005;Chellappa & Araújo, 2006;Freitas & Botega, 2002) que retratam e rememoram ad infi nitum possíveis experiências de desesperança, acontecimentos traumáticos e eventos/ situações de confl ito ao self, as quais são aproximadas (zoom) -incluindo aí objetos não-self pertencentes ao contexto imediato dessas cenas reais ou fantasiadas, e visualizadas com requintes patológicos de detalhes, aumentando o sofrimento psíquico e a sobrecarga cognitiva associadas aos pensamentos ruminativos.…”
Section: Discussionunclassified
“…Um total de 80% dos pacientes com transtorno depressivo apresenta alterações tanto da quantidade como da qualidade do sono, com queixas freqüentes de insônia, havendo dificuldade de iniciar e manter o sono e/ou despertar precoce pela manhã (Kupfer, 1995). As queixas específicas podem incluir despertares noturnos freqüentes, sono não restaurador, redução do sono total e sonhos perturbadores (Chellappa & Araújo, 2006b). Em torno de 10 a 20% dos pacientes com depressão grave ou atípica referem hipersonia como a principal queixa de alteração do sono (Fava, 2004).…”
unclassified
“…Essas modificações no padrão de sono e repouso alteram o balanço homeostático, com repercussões sobre a função psicológica, sistema imunológico, desempenho, resposta comportamental, humor e habilidade de adaptação. Os fatores que contribuem para os problemas de sono podem ser agrupados nas seguintes categorias: 1) dor ou desconforto físico; 2) fatores ambientais; 3) desconfortos emocionais e 4) alterações no padrão do sono (Chellappa, Araujo, 2006).…”
Section: Resultados E Discussõesunclassified