2014
DOI: 10.1590/s0100-54052014000100004
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Relação de massa e localização do escleródio no solo com germinação carpogênica de Sclerotinia sclerotiorum

Abstract: Escleródios de Sclerotinia sclerotiorum permitem ao fungo conservar seu poder patogênico por vários anos no solo, todavia, são incipientes os estudos que relacionam a massa e a localização dos escleródios no solo com sua patogenicidade. Desta forma, objetivou-se avaliar se a massa dos escleródios e a sua localização no solo podem interferir na germinação carpogênica de S. sclerotiorum. Os escleródios foram pesados e classificados em seis classes, (C1) escleródios com massa inferior a 0,01 g, (C2) 0,01<0,02 … Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
1

Year Published

2015
2015
2015
2015

Publication Types

Select...
1

Relationship

1
0

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(1 citation statement)
references
References 13 publications
0
0
0
1
Order By: Relevance
“…De acordo com VENTUROSO et al (2014), escleródios com massa inferior a 0,01g, localizados na superfície do solo, representam menor potencial infectivo, todavia, ainda assim, podem liberar ascósporos e causar doença, o que representaria risco às culturas subsequentes. Corroborando os resultados, tem sido relatada produção de escleródios no solo a partir de sementes de soja (YANG et al, 1998), sejam elas inoculadas artificialmente ou não (HENNEBERG et al, 2012).…”
Section: ---------Emergência (%) ------------------------Ive --------unclassified
“…De acordo com VENTUROSO et al (2014), escleródios com massa inferior a 0,01g, localizados na superfície do solo, representam menor potencial infectivo, todavia, ainda assim, podem liberar ascósporos e causar doença, o que representaria risco às culturas subsequentes. Corroborando os resultados, tem sido relatada produção de escleródios no solo a partir de sementes de soja (YANG et al, 1998), sejam elas inoculadas artificialmente ou não (HENNEBERG et al, 2012).…”
Section: ---------Emergência (%) ------------------------Ive --------unclassified