2016
DOI: 10.1590/1809-58442016311 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: This article has as object the analysis of liability of scientific associations in relation to plagiarism committed by third parties. It investigates how these associations may or may not be held liable for plagiarized texts submitted to them and consequently published on their websites. This work proposes an analysis that relates the phenomenon of social changes brought about by Information and Communication Technologies -ICTs, especially the internet, with the current legislation for the protection of author… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
1
1
1
0
0
0
3

Year Published

2021
2021
2021
2021

Publication Types

Select...
2

Relationship

0
2

Authors

Journals

0
0
0
3
Order By: Relevance
“…Os direitos autorais estão assegurados aos autores independentemente do registro da obra na qual o trabalho foi publicado (em se tratando de textos acadêmicos; Dalla Costa, 2016). O registro que assegura plenos direitos é o Copyright © (todos os direitos reservados), mas o texto pode ter reserva parcial, que é feito por meio das licenças Creative Commons , atualmente em sua versão 4.0, mais comumente usada nas publicações de periódicos em meio digital (Creative Commons [CC], 2019).…”
Section: Página3unclassified
“…Embora seja permitida a reprodução parcial de pequenos trechos de textos mesmo estando registrado sob o domínio do Copyright ©, há que se tomar cuidado com a reprodução de imagens, figuras e tabelas, que normalmente requerem autorização expressa dos autores da obra original registrada (Dalla Costa, 2016). Muitos editores têm solicitado essas autorizações no caso de submissões de textos que incluam esse tipo de reprodução de ilustrações, para se resguardar com relação ao direito autoral no qual todos os direitos são reservados.…”
Section: Revista Administração Em Diálogounclassified
“…Otras clasificaciones se concentran en la forma y cantidad de información que se utiliza de otros autores (Bhutto, Mamdani, 2019;Cardoso, 2016) o en la manera en que se realiza el plagio (Comas et al, 2011), si es a través de internet o de la copia de fuentes impresas. Meuschke y Gipp (2013: 51) introducen un tipo de plagio particularmente empleado por los estudiantes, al que denominan disfraz técnico, definido como "las técnicas que explotan las debilidades de los métodos de detección actuales para hacer que el contenido plagiado no sea reconocido por algún programa informático", esto incluye la traducción a un idioma diferente (Morató, 2012) o el empleo de sinónimos (Timal, Sánchez, 2017).…”
Section: Revisión De Literaturaunclassified