2002
DOI: 10.1590/s0104-12902002000100008
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Com o propósito de efetuar uma crítica ao modelo biomédico, mecanicista, hegemônico na doutrina e prática que informa a medicina na atualidade, o texto parte de uma síntese histórico-evolutiva que contempla a apresentaçao das idéias e personagens chave que caracterizariam os quatro paradigmas ou modelos que, ao longo do tempo, precederam o modelo sob estudo. Em seguida discorre, efetuando uma análise crítica, sobre o fenômeno da medicalizaçao, consequência e estímulo ao mesmo tempo para a hegemonia do modelo b… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1
1

Citation Types

0
7
0
163

Year Published

2012
2012
2020
2020

Publication Types

Select...
6
4

Relationship

0
10

Authors

Journals

citations
Cited by 129 publications
(170 citation statements)
references
References 2 publications
0
7
0
163
Order By: Relevance
“…O modelo hegemônico nas práticas de saúde do SUS e no setor privado é o biomédico -alicerçado nas biociências e na exclusão de análises de cunho biopsicossocial (MARCO, 2006) -e teve seu crescimento e desenvolvimento pautado por meio de alegações matemáticas. No que se refere às concepções de corpo e seu funcionamento, até então se entendia que era necessário dar atenção ao todo e à combinação harmoniosa das partes, e, a partir da entrada deste método na formação e prática em saúde, passa-se a introduzir um modelo mecânico em que as partes (engrenagens) devem ser analisadas (BARROS, 2002).…”
Section: Sobre As Hegemônicas Práticas Em Saúdeunclassified
“…O modelo hegemônico nas práticas de saúde do SUS e no setor privado é o biomédico -alicerçado nas biociências e na exclusão de análises de cunho biopsicossocial (MARCO, 2006) -e teve seu crescimento e desenvolvimento pautado por meio de alegações matemáticas. No que se refere às concepções de corpo e seu funcionamento, até então se entendia que era necessário dar atenção ao todo e à combinação harmoniosa das partes, e, a partir da entrada deste método na formação e prática em saúde, passa-se a introduzir um modelo mecânico em que as partes (engrenagens) devem ser analisadas (BARROS, 2002).…”
Section: Sobre As Hegemônicas Práticas Em Saúdeunclassified
“…Este pensamento acabou por dominar as práticas médicas, que passaram a se deter ao viés explicativo, sendo o lugar de maior importância conferido a uma perspectiva nosográfica, lugar antes ocupado por uma descrição biográfica das doenças (Barros, 2002). Mesmo que este modelo tenha possibilitado descobertas importantes para o tratamento e cura de doenças, ao longo dos anos passou a ser problematizado por focar-se em uma ordem reducionista: a doença era considerada a principal meta dos profissionais médicos, em detrimento do histórico de vida e adoecimento do sujeito.…”
Section: A éTica Do Cuidado E O Encontro Com O Outro No Contexto De Uunclassified
“…Desta maneira, Ainda que os médicos sejam os profissionais autorizados pela sociedade para definir quem está ou não doente e definir as causas do adoecer, não se pode desconsiderar que a análise do diagnóstico é também influenciada pela formação técnica e pelas convicções pessoais do profissional. (Murofuse, 2004, p. 167) E, por mais que alguns profissionais queiram visualizar o trabalhador como um todo e situá-lo, de alguma maneira, no seu contexto socioeconômico, terminam por regressar ao reducionismo, pois este foi o modelo em que foi pautada sua formação na escola médica (Barros, 2002).…”
Section: Considerações Sobre Perícia Médica Previdenciáriaunclassified