2001
DOI: 10.1590/s1517-86922001000100005
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Papel da atividade física na avaliação e tratamento da insuficiência cardíaca crônica

Abstract: Apesar de fornecer menor número de informações que o teste de esforço tradicional, recentemente têm sido utilizadas novas abordagens alternativas, e de custo mínimo, na avaliação funcional da insuficiência cardíaca. Por outro lado, embora estes testes de caminhada, e principalmente os testes ergométricos clássicos, permitam obter informações funcionais e prognósticas importantes, a análise simultânea de gases, procedimento denominado ergoespirometria ou teste de esforço cardiopulmonar (TECP), diminui o compone… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2

Citation Types

0
0
0
2

Year Published

2021
2021
2021
2021

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(2 citation statements)
references
References 5 publications
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Segundo Barretto e Ramires (1998), o tratamento clínico farmacológico para IC é baseado em 3 pontos: digitais, diuréticos e inibidores da enzima conversora. Entretanto, segundo Serra (2001), a atividade física tem um papel de destaque seja na avaliação funcional prognóstica, como também na sua ativa participação no tratamento.…”
Section: Introductionunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Segundo Barretto e Ramires (1998), o tratamento clínico farmacológico para IC é baseado em 3 pontos: digitais, diuréticos e inibidores da enzima conversora. Entretanto, segundo Serra (2001), a atividade física tem um papel de destaque seja na avaliação funcional prognóstica, como também na sua ativa participação no tratamento.…”
Section: Introductionunclassified
“…Apesar das melhoras observadas, é necessário que haja uma estabilidade clínica do doente portador de IC para a realização de exercícios físicos, especialmente aqueles que pertencem às classes funcionais III e IV, que devem ter cautela devido ao risco de piora do quadro clínico (Serra, 2001).…”
Section: Introductionunclassified