2013
DOI: 10.1590/s0102-77862013000300004
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Neste trabalho foi feita uma classificação sinótica de sequência de campos de pressão ao nível médio do mar (PNMM) e de altura geopotencial em 500 hPa, associado à ocorrência de precipitação intensa na cidade do Rio de Janeiro - RJ. Para obter os Padrões de Sequência Principal (PSP) da PNMM foi utilizada a metodologia de Análise de Componentes Principais (ACP) rotacionadas. Os resultados mostram três tipos de padrões sinóticos que causaram eventos extremos de chuva na cidade do Rio de Janeiro durante o período… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
4
1

Citation Types

1
4
0
9

Year Published

2014
2014
2020
2020

Publication Types

Select...
5

Relationship

1
4

Authors

Journals

citations
Cited by 20 publications
(14 citation statements)
references
References 12 publications
(14 reference statements)
1
4
0
9
Order By: Relevance
“…Entretanto, a precipitação não é bem distribuída ao longo do ano, uma vez que o período chuvoso se concentra entre outubro a abril (Reboita et al, 2010;Durán-Quesada et al, 2012;Silva e Reboita, 2013), caracterizando um clima de monção (Reboita et al, 2015). Durante o período chuvoso é comum a ocorrência de eventos extremos de precipitação (Moura et al, 2013;Oliveira et al, 2017;Silva e Jardim, 2017;Nunes, 2018;Reis et al, 2018), que são responsáveis por diversos desastres naturais como, por exemplo, deslizamentos de terra, enchentes e inundações, que acabam afetando a população (Seluchi e Chou, 2009; Nery e Malvestio, 2017; Reboita et al, 2017).…”
Section: Introductionunclassified
“…Entretanto, a precipitação não é bem distribuída ao longo do ano, uma vez que o período chuvoso se concentra entre outubro a abril (Reboita et al, 2010;Durán-Quesada et al, 2012;Silva e Reboita, 2013), caracterizando um clima de monção (Reboita et al, 2015). Durante o período chuvoso é comum a ocorrência de eventos extremos de precipitação (Moura et al, 2013;Oliveira et al, 2017;Silva e Jardim, 2017;Nunes, 2018;Reis et al, 2018), que são responsáveis por diversos desastres naturais como, por exemplo, deslizamentos de terra, enchentes e inundações, que acabam afetando a população (Seluchi e Chou, 2009; Nery e Malvestio, 2017; Reboita et al, 2017).…”
Section: Introductionunclassified
“…Em abril de 2010, várias localidades da Região Metropolitana do Rio de Janeiro foram atingidas por uma forte chuva, provocando vários escorregamentos de terra, resultando em 233 mortes, deixando mais de 3 mil desabrigados e 11 mil desalojados. Em janeiro de 2011, a Região Serrana do estado foi devastada por chuvas intensas e, de acordo com o EM-DAT, este foi o desastre natural mais severo da história do país, com cerca de 900 mortes, deixando mais de 9.000 desabrigados e mais de 11.000 desalojados (Moura et al, 2013).…”
Section: Introductionunclassified
“…Na região Sudeste, Moura et al (2013) realizaram uma classificação sinótica da sequência de campos de pressão ao nível médio do mar (PNMM) e de altura geopotencial em 500 hPa, associados à ocorrência de precipitação intensa na cidade do Rio de Janeiro -RJ, e mostraram que existem três tipos de padrões sinóticos que causaram eventos extremos de chuva na cidade entre 1997-2010, sendo o padrão dominante com a passagem de frentes frias com trajetória predominantemente zonal. Dereczynski et al (2009) analisaram 160 eventos de chuvas intensas também para a cidade do Rio de Janeiro, constatando que, em 77% dos casos havia a atuação de sistemas frontais, 13% dos casos estavam associados à Zona de Convergência do Atlântico Sul, 8% à sistemas convectivos de mesoescalapredominantes no verão e chuvas intensas geradas por efeito de circulação marítima ocorreram em apenas 2% dos casos.…”
Section: Introductionunclassified