2005
DOI: 10.1590/s0101-32622005000200003
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: O artigo é uma contribuição para o entendimento da história da prática pedagógica da geografia escolar. Busca subsidiar a formação de professores com elementos que permitam a compreensão das concepções pedagógicas que, a partir do século XIX, passaram a nortear a prática de ensino de geografia. O principal objetivo é apresentar uma reflexão a respeito das contribuições de Pestalozzi acerca da metodologia de ensino de geografia, assim como, da repercussão dessas idéias no ensino da geografia brasileira. A concl… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1
1

Citation Types

0
2
0
3

Year Published

2018
2018
2022
2022

Publication Types

Select...
4

Relationship

0
4

Authors

Journals

citations
Cited by 7 publications
(5 citation statements)
references
References 0 publications
(5 reference statements)
0
2
0
3
Order By: Relevance
“…Reconhecido pela compreensão da educação como um processo, demonstrada tanto em sua prática pedagógica como gerencial, Pestalozzi advogava, a propósito dos métodos de ensino, a necessidade de se "partir do conhecido ao desconhecido, do concreto ao abstrato e da visão particular para a visão geral" (Zanatta, 2005). Desse modo, começando-se pelas vivências e conceitos mais imediatos, o ensino deveria prosseguir, num crescente, mediante círculos cada vez maiores, rumo a conteúdos mais elaborados para cuja compreensão se exigem maiores níveis de abstração.…”
Section: Referencial Teóricounclassified
See 1 more Smart Citation
“…Reconhecido pela compreensão da educação como um processo, demonstrada tanto em sua prática pedagógica como gerencial, Pestalozzi advogava, a propósito dos métodos de ensino, a necessidade de se "partir do conhecido ao desconhecido, do concreto ao abstrato e da visão particular para a visão geral" (Zanatta, 2005). Desse modo, começando-se pelas vivências e conceitos mais imediatos, o ensino deveria prosseguir, num crescente, mediante círculos cada vez maiores, rumo a conteúdos mais elaborados para cuja compreensão se exigem maiores níveis de abstração.…”
Section: Referencial Teóricounclassified
“…Research, Society and Development, v. 9, n. 8, e659986208, 2020 (CC BY 4.0) | ISSN 2525-3409 | DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i8.6208 método de ensino pestalozziano (Zanatta, 2005), assim como na conceituação dada por Paulo Freire (1987) Feito isso e enunciado o problema, o qual deve fazer parte do universo temático dos alunos e contemplar temas geradores que farão a mediação entre os alunos e os conceitos a serem aprendidos (Freire, 1987), solicita-se aos alunos, de um modo geral, sem levar em conta a divisão de grupos realizada, que oralmente levantem hipóteses acerca da solução do problema. Uma tal atitude para além de ser encorajada, é tida como um dos requisitos essenciais para a promoção da aprendizagem significativa, de acordo com a teoria de Ausubel (1968), para quem o conhecimento prévio constitui-se no fator isolado mais importante a ter influência sobre a aprendizagem.…”
Section: Modelo Propostounclassified
“…12 These considerations highlight the intuitive method (IM) proposed by Johaan Henrich Pestalozzi (1746-1827) as a potential approach to be applied in FNE interventions. In other contexts, the IM, for its objective and active characteristic, have shown to be effective for teaching different subjects, especially for children, such as geography 13 and math. 14,15 However, there are no studies in the scientific literature that apply the IM in the teaching of FNE or that study its performance in interventions with different durations.…”
Section: Introductionmentioning
confidence: 99%
“…Por isso, para dar suporte a este estudo, foi preciso fazer uma revisão do estado da arte sobre as concepções do trabalho de campo na geografia e suas sinonímias. Alentejano (2006);Cantão (1952); Cavalcanti (2011); Delgado de Carvalho (1941;1945); Kayser (2006); Lache (2011); Lacoste (2006); Pontuschka (1994;; Suertegaray (2002); Tricart (2006); Zanatta (2005); etc. -são alguns dos referenciais.…”
Section: Introductionunclassified