2015
DOI: 10.1590/0103-335220151704
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

O inimigo principal: a economia política do patriarcado

Abstract: Desde que surgiu o movimento de libertação das mulheres, na França, nos Estados Unidos e onde mais se tenha abordado essa questão, o ponto de vista marxista foi representado por uma linha externa ao movimento feminista, compartilhada por partidos comunistas tradicionais e grupos de esquerda, e difundido no movimento por militantes oriundas desses grupos.Em geral, as mulheres do movimento consideram essa linha insuficiente, tanto em termos de teoria quanto em termos de estratégia: 1) ela não dá conta da opressã… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
0
0
16

Year Published

2021
2021
2022
2022

Publication Types

Select...
4
2

Relationship

0
6

Authors

Journals

citations
Cited by 12 publications
(16 citation statements)
references
References 1 publication
0
0
0
16
Order By: Relevance
“…Os riscos de equívocos prático-políticos são muito grandes quando se faz a análise a partir de sistemas duais. A feministas materialistas francesas, com especial destaque para Delphy (2015), chegaram a supor um modo de produção patriarcal em paralelo ao modo de produção capitalista. A questão da dominação do homem sobre a mulher, que se configuraria como um novo modo de produção, leva a que essas autoras criem o conceito de "classe de sexo".…”
Section: Crítica Aos Sistemas Duplos E Triplos Capitalismo Patriarcado E Racismo Estruturalunclassified
“…Os riscos de equívocos prático-políticos são muito grandes quando se faz a análise a partir de sistemas duais. A feministas materialistas francesas, com especial destaque para Delphy (2015), chegaram a supor um modo de produção patriarcal em paralelo ao modo de produção capitalista. A questão da dominação do homem sobre a mulher, que se configuraria como um novo modo de produção, leva a que essas autoras criem o conceito de "classe de sexo".…”
Section: Crítica Aos Sistemas Duplos E Triplos Capitalismo Patriarcado E Racismo Estruturalunclassified
“…Assim, inicialmente, ele abarcava a ideia de "autoridade/comando do pai". O termo é muito antigo e mudou de sentido ao longo da história: antes do século XIX, tinha um significado religioso em que os "patriarcas" eram os dignitários da Igreja; no início do século XIX, foi comumente utilizado no sentido de enaltecimento, ou como adjetivo de maneira elogiosa, tal como para se referir às sabedorias e costumes da vida no campo que, dizia-se, eram "as virtudes patriarcais" do homem; apenas no final do século XX, com a segunda onda do feminismo no ocidente, o termo passou a designar uma formação social em que os homens detêm o poder (Delphy, 2009).…”
unclassified
“…O sentido feminista contemporâneo do termo patriarcado é inicialmente atribuído a Kate Millet (1970), em sua obra Política Sexual, na qual a autora o utilizou para designar o(s) sistema(s) que oprime(m) as mulheres. A partir daí, esse sentido do termo patriarcado foi rapidamente adotado por diversos movimentos feministas e passou a designar um sistema que deveria ser combatido, ou seja, uma formação social na qual homens detêm o poder, sendo assim sinônimo de "dominação masculina" ou de "opressão das mulheres" (Delphy, 2009).…”
unclassified
“…O aumento do custo de vida (condições sociais e baixos salários) gera maior necessidade de ter seu próprio sustento ou aumentar a renda familiar, o que impulsiona muitas donas de casa a procurar uma colocação no mercado de trabalho, mesmo que seja em posições menos valorizadas. Como salientado no Capítulo 1, apesar de as atividades desempenhadas pelas mulheres no ambiente doméstico contribuírem para a manutenção da vida familiar, acabam sendo desconsideradas como trabalho produtivo (ANDRADE, 2015;DELPHY, 2015). Entretanto, o editorial frisa que, devido às diversas restrições, as mulheres acabam sendo as mais prejudicadas pelo desemprego.…”
Section: P 2)unclassified
“…A dualidade público-privado garante a opressão continuada dos homens como força de trabalho porque desconsidera como atividade produtiva o que é realizado pelas mulheres (esposas) no ambiente doméstico, sem remuneração(DELPHY, 2015).…”
unclassified