2019
DOI: 10.1590/1806-9584-2019v27n254503
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Movimentos emaranhados: travestis, movimentos sociais e práticas acadêmicas

Abstract: Resumo: As narrativas sobre as travestis e transexuais integram um conjunto significativo de trabalhos acadêmicos no Brasil, revelando diferentes formas de (re)contar a sociabilidade delas. Esse artigo é uma proposta coletiva de (re)pensar o lugar da academia na (re)produção das vidas travestis, a partir da construção de uma estratégia narrativa que inclua a perspectiva de uma epistemologia situada na experiência. Nosso argumento é que diferentes estratégias de pesquisas podem reconstruir e ressignificar a dis… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2021
2021
2024
2024

Publication Types

Select...
3
1
1

Relationship

3
2

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(4 citation statements)
references
References 3 publications
(6 reference statements)
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…A permanência do pesquisador/cineasta no campo por mais de uma década também facilitou o trânsito com as travestis, ao mesmo tempo em que a inserção dos/ as outros/as pesquisadores/as da equipe em espaços da construção de políticas públicas e militância das travestis mediou as relações com outros/as entrevistados/as, gestores/as e pesquisadores/as. O reconhecimento de que a equipe era composta por pesquisadores/as com histórico de relação ética e comprometida politicamente com os direitos das travestis facilitou a confiança das pessoas filmadas e impactou na colaboração para a viabilização do filme (CARRIJO et al 2019;ROCHA, 2014;ROCHA, RASERA, 2015).…”
Section: Narrativas Encenadas: Fazer Pesquisa E Fazer O Filmeunclassified
See 1 more Smart Citation
“…A permanência do pesquisador/cineasta no campo por mais de uma década também facilitou o trânsito com as travestis, ao mesmo tempo em que a inserção dos/ as outros/as pesquisadores/as da equipe em espaços da construção de políticas públicas e militância das travestis mediou as relações com outros/as entrevistados/as, gestores/as e pesquisadores/as. O reconhecimento de que a equipe era composta por pesquisadores/as com histórico de relação ética e comprometida politicamente com os direitos das travestis facilitou a confiança das pessoas filmadas e impactou na colaboração para a viabilização do filme (CARRIJO et al 2019;ROCHA, 2014;ROCHA, RASERA, 2015).…”
Section: Narrativas Encenadas: Fazer Pesquisa E Fazer O Filmeunclassified
“…Este artigo resulta da pesquisa sobre a trajetória de vida de Keila Simpson e seu registro em um documentário que articulou a narrativa pessoal e seus entrelaçamentos com(na) história do movimento de travestis no Brasil (CARRIJO et al, 2019). Situada num campo interdisciplinar, essa proposta enfrentou desafios técnicos e teóricos, resguardando o cuidado de se pensar que teoria/ técnica são elementos imbricados num mesmo processo.…”
unclassified
“…No Brasil, o documentário deixa claro como a comunidade LGBT contribuiu para a criação de grupos que lutavam contra a aids, buscando dar voz aos acometidos pela doença e em busca de respostas governamentais.Ainda nos anos de 1980, a travesti Brenda Lee foi um dos grandes nomes na luta contra a aids dentro da comunidade LGBT. Foi com a criação de seu pensionato que se deu a primeira casa de apoio do país, o "Palácio das Princesas", onde se acolhia travestis que eram expulsas de casa após serem diagnosticados com a doença(CARRIJO et al, 2019). Além de Brenda Lee, o documentário também cita a importância de Cazuza, o primeiro artista a se manifestar a respeito da doença.…”
unclassified
“…No Brasil, o documentário deixa claro como a comunidade LGBT contribuiu para a criação de grupos que lutavam contra a aids, buscando dar voz aos acometidos pela doença e em busca de respostas governamentais.Ainda nos anos de 1980, a travesti Brenda Lee foi um dos grandes nomes na luta contra a aids dentro da comunidade LGBT. Foi com a criação de seu pensionato que se deu a primeira casa de apoio do país, o "Palácio das Princesas", onde se acolhia travestis que eram expulsas de casa após serem diagnosticados com a doença(CARRIJO et al, 2019). Além de Brenda Lee, o documentário também cita a importância de Cazuza, o primeiro artista a se manifestar a respeito da doença.…”
unclassified