2012
DOI: 10.5380/ce.v17i3.29296
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Morte E Morrer Em Unidade De Terapia Intensiva Pediátrica: Percepção Dos Profissionais De Saúde

Abstract: RESUMO:O objetivo desta pesquisa descritiva foi conhecer a percepção dos profissionais de saúde que trabalham em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica em relação ao processo de morte e morrer. O estudo foi realizado no período de junho a agosto de 2011, os dados foram coletados por meio de entrevista estruturada e submetidos à análise estatística. Dos 25 participantes, 72% percebem a morte como um processo natural da vida, 60% sentem compaixão, sentimento que não interfere no cuidado ao paciente, 52% relatar… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2
1

Citation Types

0
4
0
20

Year Published

2015
2015
2020
2020

Publication Types

Select...
5

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 13 publications
(24 citation statements)
references
References 13 publications
(23 reference statements)
0
4
0
20
Order By: Relevance
“…Alguns profissionais demonstram atitude de negação em relação à morte, outros buscam naturalizá-la e a cada vivência, fortificar-se. Morrer tem sua dualidade para os profissionais, por um lado é gerador de tristeza, impotência, medo, dor e insucesso e por outro de alívio e libertação tanto para a família quanto para o paciente (Alves et al, 2012;Mota et al, 2011;Oliveira et al, 2013).…”
Section: Os Profissionais De Saúde Frente à Morteunclassified
“…Alguns profissionais demonstram atitude de negação em relação à morte, outros buscam naturalizá-la e a cada vivência, fortificar-se. Morrer tem sua dualidade para os profissionais, por um lado é gerador de tristeza, impotência, medo, dor e insucesso e por outro de alívio e libertação tanto para a família quanto para o paciente (Alves et al, 2012;Mota et al, 2011;Oliveira et al, 2013).…”
Section: Os Profissionais De Saúde Frente à Morteunclassified
“…Portanto, é difícil compreender que apesar de todas essas tentativas, a morte é inerente ao ser humano e que é necessário entendê-la, pois, a existência é concebida como poder-ser, possibilidades e facticidade (1) . De acordo com a hermenêutica heideggeriana quando a morte se faz presente, a equipe como um todo se abala, pois todos os esforços são direcionados à cura e reabilitação do paciente e a morte vem num caminho oposto ao que é esperado despertando inúmeros sentimentos (5) . O inesperado acontece e nem sempre os profissionais estão preparados para vivenciar este momento, pois na formação acadêmica ainda se visa somente o cuidado para a promoção, recuperação e preservação da vida (12)(13) .…”
Section: " (E Fátima)unclassified
“…Neste contexto, toda a equipe profissional mergulha em diversas reflexões, inclusive de sua própria morte que passa a ser vista como algo possível e concreto, pois todo ser-aí é um ser-de--possibilidades e que também é um ser-para-a-morte, refletindo que a morte está presente na vida dos seres como algo extremamente possível de se concretizar. Portanto, sabemos que a morte é esperada e ocorre a todos os seres vivos fazendo parte integrante do ciclo vital (1,5) , mas não estamos preparados para este momento como foi expresso: "Num primeiro momento eu fico assim chateada, eu tenho um sentimento de derrota, eu penso assim que o meu serviço não valeu à pena, a gente luta, luta e no final perde o paciente, tenho um sentimento de perda". (E Flor) Neste sentido, "a morte se desvela como perda e, mais do que isso, como aquela perda experimentada pelos que ficam.…”
Section: " (E Fátima)unclassified
See 2 more Smart Citations