2005
DOI: 10.1590/s0102-37722005000200014 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: RESUMO -O medo de falar em público constitui um subtipo não reconhecido da fobia social em estudos epidemiológicos. Para se verificar a prevalência, o impacto no funcionamento pessoal e a procura por tratamento do medo de falar em público, foi realizada uma pesquisa com 452 residentes da cidade de São Paulo, Brasil. Trinta e dois porcento dos entrevistados reportaram ansiedade excessiva quando falavam para um grande grupo de pessoas. No total, 13% dos entrevistados relataram que o medo de falar em público resu… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
2
0
1
0
1

Year Published

2019
2019
2020
2020

Publication Types

Select...
2

Relationship

0
2

Authors

Journals

0
1
0
1
Order By: Relevance
“…Segundo Pull (2012), indivíduos que possuem medo de falar em público podem apresentar prejuízos significativos em contextos sociais e ocupacionais. Estudos epidemiológicos evidenciaram que esse tipo de medo apresenta uma alta prevalência na população geral (D'el Rey & Pacini, 2005;Stein, Walker, & Forde, 1996) e, em particular, entre universitários (Baptista, 2007). Por exemplo, Marinho, Medeiros, Gama e Teixeira (2017) avaliaram a prevalência do medo de falar em público de 1.135 universitários de uma universidade pública de Belo Horizonte (MG).…”
Section: Introductionunclassified
“…Fear of Public Speaking (FoPS), also referred to as public speaking anxiety, is a costly (Lépine, 2002) and disabling fear (Blöte et al, 2009), with prevalence rates ranging from 21 (Pollard and Henderson, 1988) to 33% (Stein et al, 1996; D'El Rey and Pacini, 2005) in community samples. FoPS has been reported as the single most commonly feared situation in both university and community samples (Pollard and Henderson, 1988; Holt et al, 1992; Stein et al, 1996; Tillfors and Furmark, 2007).…”
Section: Introductionmentioning