2015
DOI: 10.1590/0101-60830000000063
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Mediumship: review of quantitatives studies published in the 21st century

Abstract: Background: Mediumship can be defined as the alleged ability to communicate with deceased persons. The last decade has been particularly productive for this field of research and the study of mediumship can help the understanding of the human mind-brain relationship and provide objective data to the scientific community and to the general population. Objective: The aim of this review is to summarize and discuss the results found on recent studies investigating mediumship. Furthermore, we aim to discuss the psy… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

1
16
0
5

Year Published

2018
2018
2023
2023

Publication Types

Select...
5
1
1
1

Relationship

0
8

Authors

Journals

citations
Cited by 23 publications
(22 citation statements)
references
References 44 publications
1
16
0
5
Order By: Relevance
“…The interest in exploring whether or not there is a continuation of our identity after cessation of the body's vital functions, probably dates back to the dawn of humanity and is still highly topical today; consider how many people go to sensitives or mediums seeking communication with the deceased. Luckily scientific research on control of the source of information and its accuracy from mediums had produced interesting results that show some mediums able to garner information in an unconventional manner and that this information cannot always be acquired through mental connection (telepathy) with those seeking consultation (for a summary see Bastos Jr. et al, 2015;Beischel & Zingrone, 2015). A large part of scientific results in this field can be attributed to Julie Beischel and Mark Boccuzzi of the Winbridge Research Center (Beischel, Boccuzzi, Biuso, & Rock, 2015;Beischel, Mosher, & Boccuzzi, 2017).…”
Section: Acquisition Of Information From Discarnate Identities or Entmentioning
confidence: 99%
“…The interest in exploring whether or not there is a continuation of our identity after cessation of the body's vital functions, probably dates back to the dawn of humanity and is still highly topical today; consider how many people go to sensitives or mediums seeking communication with the deceased. Luckily scientific research on control of the source of information and its accuracy from mediums had produced interesting results that show some mediums able to garner information in an unconventional manner and that this information cannot always be acquired through mental connection (telepathy) with those seeking consultation (for a summary see Bastos Jr. et al, 2015;Beischel & Zingrone, 2015). A large part of scientific results in this field can be attributed to Julie Beischel and Mark Boccuzzi of the Winbridge Research Center (Beischel, Boccuzzi, Biuso, & Rock, 2015;Beischel, Mosher, & Boccuzzi, 2017).…”
Section: Acquisition Of Information From Discarnate Identities or Entmentioning
confidence: 99%
“…Em meio a um campo polissêmico dominado por diferentes tradições e concepções sobre esse fenômeno, a mediunidade pode ser definida como uma gama de experiências espirituais nas quais os sujeitos alegam estabelecer uma comunicação com seres não materiais, como espíritos de pessoas falecidas ou de outra natureza. Tais experiências estão presentes e descritas em diversas sociedades ao longo do tempo, associadas a diferentes práticas religiosas, tais como as de católicos carismáticos, evangélicos pentecostais, espíritas, espiritualistas e de religiões de matrizes indígenas ou africanas (Alvarado, 2013;Bastos Jr., Bastos, Gonçalves, Osório, & Lucchetti, 2015;Moreira-Almeida, 2013). Na literatura científica da área médica encontramos reflexões importantes sobre a mediunidade e suas relações com quadros psicopatológicos, associando algumas experiências espirituais e religiosas a determinados transtornos mentais.…”
Section: Introductionunclassified
“…Essas consultas, geralmente públicas, ocorrem a partir do transe de possessão, segundo o qual uma entidade ou um espírito é incorporado pelo médium. Apesar do fato de que a literatura científica frequentemente investiga o fenômeno da mediunidade, a partir de estudos com os médiuns e seus aspectos biofisiológicos e neurológicos (Bastos Jr. et al, 2015;Osborne & Bacon, 2013), ou de acessá-los a partir do transe de possessão (Rotta & Bairrão, 2007), pouca atenção é conferida aos percursos desenvolvimentais desses sujeitos, bem como ocorre a manifestação e o desenvolvimento da mediunidade ao longo do ciclo vital, seus reflexos na construção da identidade, características e relações com os contextos nos quais os médiuns estão imersos. Uma possível explicação para esse processo é o fato de que a Psicologia do Desenvolvimento, por muitos anos, esteve associada a uma determinada forma de compreensão do humano, focalizada em elementos como a periodização e a busca pelo desenvolvimento típico e adaptativo, com pouco destaque para uma reflexão mais aprofundada e crítica sobre os processos culturais, por exemplo (Rogoff, 2005).…”
Section: Introductionunclassified
“…Assim, quando a literatura inicial pareceu ser incipiente, a busca e levantamento de trabalhos seguiram maior rigorosidade, de acordo com os modelos oferecidos por algumas revisões sistemáticas (cf. Bastos Jr. et al, 2015;Damiano et al, 2016).…”
Section: Métodounclassified
“…artigos, por sua vez, seguiu critérios de inclusão utilizados em algumas revisões sistemáticas de literatura da área, que serviram como modelos (cf. Bastos Jr. et al, 2015;Damiano et al, 2016). Dessa maneira, o período de publicação não foi restringido e na extração do material foram excluídos artigos repetidos, fora do tópico proposto, com título inconclusivo 62 , resumo mal formulado 63 e aqueles cujo texto completo não pôde ser acessado por nenhum meio eletrônico.…”
Section: Checklist De Dissociação Em Crianças (Cdc) Versãounclassified