2009
DOI: 10.1590/s1413-81232009000200022
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Maus-tratos: estudo através da perspectiva da delegacia de proteção à criança e ao adolescente em Salvador, BahiaMaltreatment: study from the perspective of the police department for the frotection of the child and the adolescent in Salvador, Bahia (1997)(1998)(1999)

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2
1

Citation Types

1
2
1
18

Year Published

2010
2010
2016
2016

Publication Types

Select...
4

Relationship

0
4

Authors

Journals

citations
Cited by 25 publications
(22 citation statements)
references
References 6 publications
(22 reference statements)
1
2
1
18
Order By: Relevance
“…Dentre elas, destacam-se os registros de denúncias aos conselhos tutelares e delegacias especializadas 10,11,12 , os estudos sobre casos atendidos em serviços especializados 13,14,15 e as análises da concepção de profissionais de saúde acerca desta problemá-tica 16,17 . No entanto, apesar das variadas fontes de informação atualmente existentes no Brasil e em diferentes partes do mundo, nenhuma delas é capaz de, isoladamente, descrever a totalidade da extensão do problema, principalmente nos aspectos referentes às lesões não fatais e de menor gravidade, o que requer o desenvolvimento de novas estratégias para preencher esta lacuna 18 .…”
Section: Introductionunclassified
“…Ainda nesse contexto, foi possível constatar que o pai despontou em 35,4% dos casos registrando com maior frequência a denúncia de situação violenta no ambiente doméstico da vítima. Quanto a essa característica dos registros, estudo semelhante dispõe que, de um modo geral, as comunicações foram mais frequentemente feitas pelos pais das vítimas (72,9%) (14) . É de extrema importância destacar que os profissionais de saúde que atuam em hospitais e postos de saúde, embora instruídos quanto aos deveres e obrigatoriedade da notificação compulsória da violência doméstica e outras violências, conforme os resultados alcançados no presente estudo mostram que a atuação dos respectivos diante dos casos ocorridos foi ínfima, representada por apenas 0,6% dos casos cada.…”
Section: Discussionunclassified
“…Em pesquisa semelhante não foi identificada nenhuma notificação de ocorrência feita por profissionais de saúde (14) , chamando atenção, uma vez sendo prevista a obrigatoriedade por parte destes nos casos de suspeita ou confirmação de maus tratos contra crianças e adolescentes de acordo com ECA. Em termos de análise, a negligência ocorreu com maior frequência, com 53 casos (67,9%).…”
Section: Discussionunclassified
“…En este sentido, el miedo a posibles implicaciones, el deseo de mantener la familia, la dependencia financiera del compañero asociada al castigo del responsable, son factores que contribuyen a la no realización de la notificación de la violencia, por parte de la familia, en especial en situacioes de abuso sexual intrafamiliar (7) . Así, la violencia contra el niño se erige en un problema universal y creciente que acanza muchas víctimas y es expuesto, en la mayoría de las veces, de forma velada (9) .…”
Section: Nº 44 Octubre 2016unclassified
“…O fonoaudiólogo pode contribuir para a identificação desses casos, estando atento, por exemplo, às lesões ou cicatrizes na pele, particularmente aquelas localizadas na região da cabeça e pescoço, atingidos com maior frequência (cerca de 70%). 12,13 Observa-se uma escassez de trabalhos que retratem a conduta do fonoaudiólogo diante dos casos de violência intrafamiliar, o que difere de outras áreas no campo da saúde em que se observa um crescente número de publicações. 12,[14][15][16] Tal fato é de fundamental importância, uma vez que esse profissional trabalha com crianças de risco, em sua maioria, por apresentarem distúrbios da comunicação humana, deficiências e problemas neurológicos.…”
Section: Introductionunclassified