2009
DOI: 10.1590/s1516-05722009000200015
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: RESUMO:Ruta graveolens L., também conhecida com arruda, é planta originária do sul da Europa, cultivada no Brasil e em outros países como planta medicinal, muito utilizada em rituais religiosos. Tendo em vista que a germinação constitui um fator primordial para que a semente possa gerar uma planta vigorosa e com alto potencial produtivo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a resposta germinativa de sementes para arruda sob condições de temperatura, luminosidade, estresse hídrico e salino e emergênci… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

0
1
0
7

Year Published

2015
2015
2020
2020

Publication Types

Select...
2
2
1

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 13 publications
(8 citation statements)
references
References 20 publications
(10 reference statements)
0
1
0
7
Order By: Relevance
“…No trabalho de Silva et al (2012) que trabalhou o enraizamento de manjericão em substratos a doses de cinzas, a cinza de castanha a 10 mL foi o substrato que apresentou menor média no Teste Post-Hoc na variável de porcentagem de enraizamento e número de radículas. Consoante Yamashita et al (2009), a germinabilidade das sementes dependem de fatores internos, externos e ambientais, sendo que esses fatores são responsáveis pela ativação do metabolismo da semente. E as sementes de jambu foram submetidas a irrigação constante e luminosidade indireta visto que o experimento foi realizado em uma casa de vegetação, uma ótima via conforme o autor para uma germinabilidade alta.…”
Section: Resultsunclassified
“…Yamashita et al (2009), em seu trabalho com arruda não verificou diferença significativa entre a interação, Substrato x Profundidades, além deste, os diferentes substratos areia, terra:areia e terra também não diferiram, onde somente as profundidades apresentaram influência sobre as plântulas emersas. As diferentes profundidades apresentaram diferença significativa (Tabela 2).…”
Section: Resultado E Discussãounclassified
“…A Ruta graveolens L. (Rutaceae), também conhecida como arruda, foi citada por 11% dos entrevistados. Ensaios farmacológicos comprovaram seu efeito como anti-helmíntica, febrífuga, abortiva, antiparasitária, espasmolítica, fotossensibilizante, cicatrizante, anti-inflamatória, antirreumática e antiulcerogênica, sudorífera [21,22] Anti-inflamatório e antimicrobiano 28 Antimicrobiano 29 Cicatrizante, antiulcerativo 30 Antisséptico e antiinflamatório 31 Dor abdominal, flatulência e hepatoprotetor 32,33 Calmante 34 Cólicas uterinas e intestinais 35 Digestivo, antibiótico, analgésico 36 Anemia, anti-inflamatório 37 Anti-Ulcerogênica…”
Section: Figura 2 Distribuição Percentual Da Prioridade Na Escolha Dunclassified
“…A maioria dos trabalhos levantados mostram diferenças entre as profundidades de semeadura: para a arruda (Ruta graveolens L.) a melhor profundidade foi a superficial e a 0,5 cm de profundidade (YAMASHITA et al, 2009); para o tomate (Lycopersicon esculentum Mill.) foi de 1,5 cm (TILLMANN et al, 1994); para Alternanthera tenella uma "planta daninha" a profundidade foi de superficial a 3 cm (CANOSSA et al, 2007) Entretanto para o tamarindeiro (Tamarindus indica L.) e para a aveia-branca (Avena sativa L.) a profundidade não foi significativo encontrando resultados iguais de 1 a 3 cm e 3 a 8 cm de profundidade, respectivamente.…”
Section: Resultsunclassified
“…A profundidade de semeadura pode influir até mesmo na sanidade das plântulas, pois segundo Christensen (1953) citado por Silva et al (2002) quando superior a 4 cm para as sementes de cereais favorece a infecção de plântulas, reduzindo a emergência da plântula e prejudicando a quantidade plântulas por área, isto ocorre devido ao aumento da exposição das partes tenras da plântula aos patógenos do solo. De acordo com Yamashita et al (2009), que pesquisaram as sementes de arruda, há a redução da emergência da plântula conforme há o aumento da profundidade de semeadura, devido à limitação da disponibilidade de oxigênio e à barreira física do solo para a germinação da semente, Toledo et al (1993) citado por Yamashita et al (2009). Além disso, Canossa et al (2007) complementaram que as sementes "pequenas" possuem poucas reservas para produzir plântulas que atinjam a superfície do solo a partir de semeaduras profundas, fato explicado também por Tillmann (1994) que afirmou que o desenvolvimento do embrião deve possibilitar à plântula chegar à superfície do solo para iniciar a fotossíntese e a semeadura profunda para as sementes "pequenas", que têm pouca reserva, dificulta ou impede que a plântula atinja a superfície do substrato.…”
Section: Profundidade De Semeaduraunclassified