2008
DOI: 10.1590/s0102-79722008000200012
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Resumo Apesar de abarcar estudos e intervenções ao longo de mais de cinco décadas, a temática da intersexualidade continua a impor desafios epistemológicos, metodológicos, clínicos e éticos. Visando, portanto, contribuir para uma fundamentação criteriosa e abrangente que subsidie reflexões críticas e ações coerentes, realizou-se uma revisão sistemática dos estudos nacionais e internacionais publicados nas duas últimas décadas. Os textos foram selecionados por meio da busca bibliográfica efetuada em bancos de d… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2
1

Citation Types

0
0
0
8

Year Published

2012
2012
2022
2022

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(56 citation statements)
references
References 43 publications
(56 reference statements)
0
0
0
8
Order By: Relevance
“…Nota-se que, apesar da proposta do Consenso de Chicago de normatização da linguagem utilizada para referir a esse fenômeno, o emprego de intersexualidadee suas variações intersexo, intersex e intersexuaisainda continuou presente na maioria dos artigos de Psicologia (Santos & Araújo, 2008;Ceccarelli, 2008;Canguçu-Campinho et al, 2009;Méllo & Sampaio, 2012;Paula & Vieira, 2015;Rego & Marcondes, 2018).…”
Section: Resultsunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Nota-se que, apesar da proposta do Consenso de Chicago de normatização da linguagem utilizada para referir a esse fenômeno, o emprego de intersexualidadee suas variações intersexo, intersex e intersexuaisainda continuou presente na maioria dos artigos de Psicologia (Santos & Araújo, 2008;Ceccarelli, 2008;Canguçu-Campinho et al, 2009;Méllo & Sampaio, 2012;Paula & Vieira, 2015;Rego & Marcondes, 2018).…”
Section: Resultsunclassified
“…A atuação profissional na clínica da intersexualidade e as abordagens utilizadas são pontos centrais de discussão. Pode-se perceber a consonância de posicionamento de autores(as) em defesa da atuação de equipe multiprofissional nos casos de intersexualidade (Santos & Araújo, 2003;Santos & Araújo, 2008;Canguçu-Campinho et al, 2009;Zanotti & Xavier, 2012;Paula & Vieira, 2015). Nesse sentido, aponta-se que a clínica não deve ser exercida apenas por profissionais da saúde, torna-se imprescindível adotar uma abordagem interdisciplinar, associando os diferentes campos do conhecimento (Santos & Araújo, 2008).…”
Section: Resultsunclassified
“…No caso de pessoas que nascem com genitália ambígua, existe consenso entre os profissionais envolvidos no cuidado de questões de intersexualidade quanto à realização do manejo clínico, como uma forma de proporcionar ao indivíduo uma identidade de gênero estável e garantir que a imagem corporal e a função sexual sejam adequadas, entre outros fatores (Santos, 2008). Os procedimentos que podem ser realizados na assistência a pessoas com ADS são regulamentados, no Brasil, pela Resolução no 1.664 do Conselho Federal de Medicina [CFP] (2003).…”
Section: Referênciasunclassified
“…Os procedimentos que podem ser realizados na assistência a pessoas com ADS são regulamentados, no Brasil, pela Resolução no 1.664 do Conselho Federal de Medicina [CFP] (2003). A realização de cirurgia genital nesses pacientes é consagrada em nosso país, entretanto, à exceção dos casos em que a genitália ambígua representa algum risco de vida para o bebê que nasce com essa condição, não se encontra consenso na literatura científica internacional de que exista real necessidade urgente de se fazer tal cirurgia (Santos, 2008). De acordo com o Consenso de Chicago (Lee et al, 2006), a tomada de decisão pela designação sexual nos casos de ADS deve ser feita de forma cuidadosa e com base na consideração de indicadores que incluem: diagnóstico, aparência dos genitais, opções de intervenção cirúrgica, necessidade de terapia de reposição hormonal vitalícia, potencial de fertilidade, o ponto de vista da família sobre a situação e, em alguns casos, a relação da decisão com as práticas relacionadas à cultura.…”
Section: Referênciasunclassified
“…O endócrino é composto pelas gônadas, os testículos nos homens e os ovários nas mulheres, assim como por outras glân-dulas (hipófise e tireoide) responsáveis por traços de masculinidade e feminilidade. O morfológico está relacionado à aparência dos genitais internos e externos, devendo-se analisar a presença dos caracteres sexuais primários e secundários, observando se existe uma correspondência entre eles 10,11,12 . Já os elementos psicossociais, que envolvem o sexo psicológico e o sexo social, respectivamente, são definidos a partir de alguns fatores tais como a formação educacional, a influência da família e da sociedade, o comportamento do indivíduo e sua afirmação em determinado gênero 13,14,15 .…”
Section: Introductionunclassified