volume 7, issue 1, P63 2014
DOI: 10.20396/rfe.v7i1.1742
View full text
|
|
Share

Abstract: ResumoEste artigo experimenta o tropo "espírito livre" em Nietzsche como um logos sofista, não mais um logos ontológico. Interpretando -a partir de signos nietzschianos -que o espírito, para ser livre, necessita livrar-se do logos ontológico, traça-se brevemente uma genealogia do logos sofista. O espírito livre torna-se, assim, não mais um conceito no sentido aristotélico, senão uma performance.Palavras-chave: espírito livre; Nietzche; logos sofista. AbstractThis article experiments the Nietzsche´s trope "fre…

Expand abstract

Search citation statements

Order By: Relevance

Citation Types

0
0
0

Paper Sections

0
0
0
0
0

Publication Types

0
0
0
0

Relationship

0
0

Authors

Journals