2017
DOI: 10.1590/2179-8966/2017/23563
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Resumo O artigo tem por objetivo fundamentar o direito infantil à participação política a partir teoria do reconhecimento hegeliana, sistematizada empiricamente por Axel Honneth. Tem-se em vista um contexto em que a criança é excluída da possibilidade de participar das esferas sociais e políticas de influência, tornando-se muitas vezes invisível enquanto destinatária de políticas públicas.

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1

Citation Types

0
0
0
3

Year Published

2021
2021
2023
2023

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(3 citation statements)
references
References 6 publications
(2 reference statements)
0
0
0
3
Order By: Relevance
“…Com isso, o autor reforça a importância de considerar a diversidade das condições de existência das crianças e suas consequências, identificando as mesmas como atores sociais, sujeitos completos e competentes, que podem intervir ativamente em questões referente as suas trajetórias e a sociedade. Tomás e Fernandes (2013) reiteram essa necessidade de alterar esse olhar perante as crianças e incluir a participação política deste grupo social, já que elas são as mais excluídas em pautas sociais e econômicas e ainda continuam em uma relação de controle e dominação perante os adultos (Tironi, 2017). Nesse sentido, identificar as crianças enquanto sujeitos de direitos, perpassa pela necessidade de visualizá-las enquanto indivíduos completos e competentes, com plena capacidade de agir politicamente em diferentes âmbitos sociais.…”
Section: Ser Ativista E Influenciador/a Digitalunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Com isso, o autor reforça a importância de considerar a diversidade das condições de existência das crianças e suas consequências, identificando as mesmas como atores sociais, sujeitos completos e competentes, que podem intervir ativamente em questões referente as suas trajetórias e a sociedade. Tomás e Fernandes (2013) reiteram essa necessidade de alterar esse olhar perante as crianças e incluir a participação política deste grupo social, já que elas são as mais excluídas em pautas sociais e econômicas e ainda continuam em uma relação de controle e dominação perante os adultos (Tironi, 2017). Nesse sentido, identificar as crianças enquanto sujeitos de direitos, perpassa pela necessidade de visualizá-las enquanto indivíduos completos e competentes, com plena capacidade de agir politicamente em diferentes âmbitos sociais.…”
Section: Ser Ativista E Influenciador/a Digitalunclassified
“…Cabe destacar que a ação dos haters muitas vezes tem um efeito contrário ao esperado pelos mesmos, já que há uma ação contrária de proteção e aumento de seguidores e engajamento. Com a elucidação dos riscos identificados nesta investigação e por compreender que essas crianças devem ser orientadas e protegidas de situações que envolvam violação aos seus direitos, é válido salientar, assim como apontado por Tironi (2017), que nenhuma criança deve ser forçada a exercer uma responsabilidade para a qual não está preparada, mesmo frente a um direito de exercê-la. Contudo, seu desenvolvimento sadio também depende de ser permitido a ela interagir e engajar-se no mundo, tomando decisões progressivamente independentes e assumindo maiores responsabilidades conforme forem se tornando mais capazes para tanto, possibilidade que lhe é dada por meio da garantia de sua participação política.…”
Section: Considerações Finaisunclassified
“…Decerto, o atributo engloba uma importante abordagem de investigação, a Ciência Cidadã (Citizen Science), em que cidadãos são envolvidos ativamente, de forma voluntária, colaborativa em atividades científicas que podem gerar novos conhecimentos e compreensão de um determinado tema, por meio da investigação, da análise de dados e da partilha de seus conhecimentos. No caso da criança, podemos falar em ações que potencializem a participação em questões relacionadas à ciência, considerando que a criança é uma pessoa de direito que possui capacidades peculiares para agir social e politicamente (CNUDC, 1989;TIRONI, 2017;SARMENTO et al, 2007). Como afirma Qvortrup (2010) Diante disso, a proposta do atributo é investigar como as crianças, numa visita ao museu de ciências, percebem que as problemáticas sociais dialogam com as questões científicas e se elas estão refletindo e participando na busca de soluções para enfrentar os problemas.…”
Section: C -Influência E Participação Da Sociedade Diante Da Ciênciaunclassified