volume 39, issue 80, P155-177 2019
DOI: 10.1590/1806-93472019v39n80-07
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: RESUMO No artigo analiso como as práticas designadas genericamente como batuques passaram por um processo de homogeneização e de escrutinização por parte de diferentes agentes da ação colonial portuguesa. Por um lado, insistiu-se em unificar danças e músicas na categoria genérica de batuque; por outro, a necessidade de compreender os povos dominados acabou por produzir respostas coloniais que transitaram entre um destrinchar desse termo em busca de uma apuração mais fidedigna daquilo que se presenciava e uma i…

Expand abstract