1999
DOI: 10.1590/s0104-59701999000300003 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: The article analyzes the work of practitioners, especially bleeders and surgeons, in nineteenth-century Minas Gerais. Once surgical and medical courses had been established in Brazil, conflicts between academically trained medical workers and folk practitioners intensified. Bleeders and surgeons with no academic training nevertheless remained active in the health area.

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
2
1
1
1
0
0
0
10

Year Published

2011
2011
2017
2017

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

0
0
0
10
Order By: Relevance
“…Até o início do século XIX, a licença para o exercício da Medicina não era obrigatória, conforme argumentam Moreira Junior, Figueiredo e Vieira (2012), mas os cursos que a concediam não aceitavam mulheres. Figueiredo (1999) relata que os barbeiros foram considerados os precursores dos cirurgiões, e na pesquisa que empreendeu sobre o tema, não encontrou nenhuma referência à presença de mulheres nesse ofício. Mais de dois séculos passados, esse cenário mudou radicalmente, com o aumento da presença das mulheres no exercício da Medicina e no ambiente acadêmico, embora isso não tenha sido acompanhado pela igualdade entre homens e mulheres em relação a posições de liderança, equilíbrio de salários, e eliminação de vieses de gênero.…”
Section: Revisão De Literaturaunclassified
Create an account to read the remaining citation statements from this report. You will also get access to:
  • Search over 1.2b+ citation statments to see what is being said about any topic in the research literature
  • Advanced Search to find publications that support or contrast your research
  • Citation reports and visualizations to easily see what publications are saying about each other
  • Browser extension to see Smart Citations wherever you read research
  • Dashboards to evaluate and keep track of groups of publications
  • Alerts to stay on top of citations as they happen
  • Automated reference checks to make sure you are citing reliable research in your manuscripts
  • 7 day free preview of our premium features.

Trusted by researchers and organizations around the world

Over 130,000 students researchers, and industry experts at use scite

See what students are saying

rupbmjkragerfmgwileyiopcupepmcmbcthiemesagefrontiersapsiucrarxivemeralduhksmucshluniversity-of-gavle
“…Até o início do século XIX, a licença para o exercício da Medicina não era obrigatória, conforme argumentam Moreira Junior, Figueiredo e Vieira (2012), mas os cursos que a concediam não aceitavam mulheres. Figueiredo (1999) relata que os barbeiros foram considerados os precursores dos cirurgiões, e na pesquisa que empreendeu sobre o tema, não encontrou nenhuma referência à presença de mulheres nesse ofício. Mais de dois séculos passados, esse cenário mudou radicalmente, com o aumento da presença das mulheres no exercício da Medicina e no ambiente acadêmico, embora isso não tenha sido acompanhado pela igualdade entre homens e mulheres em relação a posições de liderança, equilíbrio de salários, e eliminação de vieses de gênero.…”
Section: Revisão De Literaturaunclassified
“…Há referências a vários cirurgiões que completavam seus estudos para se tornarem médicos, o mesmo acontecendo em relação aos farmacêuticos. Já o contrário (de médico para farmacêutico ou cirurgião) não ocorria (Figueiredo, 1999).…”
Section: Médicos E Medicina Em Goiásunclassified
“…O uso de substâncias populares para curar doenças, por exemplo, já existia antes de chegar a influência portuguesa em nosso território: índios misturaram seus conhecimentos sobre remédios e doenças, lançando mão de substâncias de origem animal ou vegetal para curar seus problemas de saúde (Marques, 1999;Figueiredo, 1999;Ribeiro, 1997). As mezinhas 7 eram elaboradas a partir de partes internas e externas de animais como o gambá, a anta, as cobras, a preguiça (Holanda, 1957).…”
Section: São Paulounclassified
“…Embora tenha surgido no Brasil a primeira Sociedade de Medicina do Rio de Janeiro em 1829 (Teixeira, 2007), a formação da corporação médica como hoje conhecemos ainda estava em um processo bastante inicial. Assim, a pequena quantidade de médicos, em geral estudados em escolas estrangeiras, contribuía para os serviços de cura dos terapeutas populares: feiticeiros, sangradores, barbeiros e sacerdotes, que gozavam de certa autonomia para praticar seus rituais (Soares, 2001;Figueiredo, 1999;Pimenta, 1998).…”
Section: São Paulounclassified
See 1 more Smart Citation