volume 38, issue 139, P507-524 2017
DOI: 10.1590/es0101-73302017177445
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: RESUMO: O artigo busca entender como a emergência do movimento autodenominado Escola sem Partido (ESP) e de suas demandas conservadoras deslocam as negociações políticas na elaboração da Base Nacional Curricular Comum. O argumento central é o de que as negociações em curso seguem pondo em funcionamento uma normatividade neoliberal, entendida em matriz pós-estrutural. São analisados a segunda versão da base e os sites de divulgação do ESP, tendo por pano de fundo a assunção pós-fundacional de que a política é …

Expand abstract

Search citation statements

Order By: Relevance

Citation Types

2
12
0
36

Paper Sections

0
0
0
0
0

Publication Types

0
0
0
0

Relationship

0
0

Authors

Journals