2016
DOI: 10.1590/1809-4422asoc129711v1932016
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: In recent years, a growing number of actors and institutions, in different countries, have begun using the notion of Agroecology, which has led to an expansion of its polysemy and its controversies. Taking this into account, this paper analyzes, based on the Brazilian and French experiences, the peculiarities of Agroecology in four different fields: science, social movements, government policies, and education. It also discusses three other issues: the analytical, programmatic and normative discourses; the dif… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1

Citation Types

0
5
0
12

Year Published

2020
2020
2020
2020

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 23 publications
(10 citation statements)
references
References 11 publications
(10 reference statements)
0
5
0
12
Order By: Relevance
“…Para Martins et al (2014), a Agroecologia, enquanto ciência, contribui com conhecimentos que vem sendo gerados por pesquisadores para manutenção e/ou construção de sistemas sustentáveis de produção junto às comunidades rurais. Norder et al (2016) estabelecem com muita clareza que a Agroecologia constitui-se como uma ciência, uma prática e um movimento social, além de política governamental, profissão, modo de vida e ideologia.…”
Section: Introductionunclassified
“…Para Martins et al (2014), a Agroecologia, enquanto ciência, contribui com conhecimentos que vem sendo gerados por pesquisadores para manutenção e/ou construção de sistemas sustentáveis de produção junto às comunidades rurais. Norder et al (2016) estabelecem com muita clareza que a Agroecologia constitui-se como uma ciência, uma prática e um movimento social, além de política governamental, profissão, modo de vida e ideologia.…”
Section: Introductionunclassified
“…Desde 1960, o termo "Agroecologia" ganhou um caráter polissêmico, já que pode ser entendido tanto como ciência, quanto como movimento e prática (WEZEL at al., 2009; GÓMEZ; RÍOS-OSORIO; ESCHENHAGEN, 2013). As mudanças semânticas a ele agregadas, pensadas sob diferentes perspectivas a partir da década de 1960, ocorreram devido a uma polissemia sistêmica que o envolve, já que não podemos encará-la apenas como uma disciplina científica, mas como um processo dinâmico que envolve aspectos ambientais, sociais, econômicos, éticos e de desenvolvimento, embora tenha como primazia o envolvimento de uma série de abordagens que buscam a resolução dos desafios reais da produção agrícola (NORDER et al, 2016).…”
unclassified
“…Ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos, a agroecologia fundou-se no Brasil a partir de práticas agrícolas tradicionais, de políticas governamentais, do sistema curricular da educação formal brasileira, de conceitos que associam a agroecologia a um modo de vida, à ética, e não apenas à ciência, considerando que ela passou a ser vista como um movimento de retorno às raízes dos povos da América Latina, de forma a combater uma agricultura baseada no uso intensivo de defensivos agrícolas (GÓMEZ; RÍOS-OSORIO; ESCHENHAGEN, 2013;NORDER et al, 2016). A1: 4 O curso ajudou a compreender a necessidade da língua inglesa e a buscar por artigos em inglês, por sua relevância acadêmica.…”
unclassified
“…Contudo, o conceito de agroecologia pode ser identificado de diferentes formas, dependendo de seu interlocutor ou grupo social. Segundo Norder et al (2016), a noção de agroecologia passou a ser empregada por um número crescente de instituições e em diversos países, o que pode ter gerado imprecisão no uso do termo:…”
Section: Na Sequência Plantas Doentes Pelo Uso De Agrotóxico (Chabouunclassified
“…Teve como base a busca pelas obras de Altieri (2005;, Gliessman (2002), Sevilla Guzmán (20062001);Toledo (2015), Leff (2001;, Floriani e Floriani (2010), Jacob (2016), Caporal e Costabeber (2002;, Machado e Filho (2014), Norder (2016), e arquivos do Projeto "Assentamentos Agroecológicos" e da Com base nas obras de Santos (2002a;2002b);Freire (1987;1997;; Carlos Brandão (1982;Caldart (2000a;2000b;, Dalmago (2010) e Leff (2001;2009 [...] configura-se como uma ferramenta útil na medida em que: (i) promove diálogo entre múltiplas áreas do saber; (ii) se debruça sobre a fala dos mais diversos atores sociais, nos mais diversos contextos; (iii) reverbera entendimento do discurso narrativo como prática social constitutiva da realidade; (iv) nega a possibilidade de se delinear as identidades estereotipadamente, como instituições pré-formadas, atentando para os modos como os atores sociais se constroem para fins locais de performance e (v) avança no entendimento sobre os modos como as práticas narrativas orientam, nos níveis situados de interação, os processos de resistência e reformulação identitária.…”
Section: Construção Do Conhecimento Agroecológicounclassified