2018
DOI: 10.1590/1678-98652018000200004
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: A B S T R A C T ObjectiveAssess the correlation between classification of nutritional status of schoolchildren and the perception of their guardians. MethodsA cross-sectional study with children aged 6-10 years from a public school in the South of Brazil. Weight and height of the schoolchildren were collected, and the guardians answered a questionnaire containing the range of silhouettes of Brazilian children. The perception through the scale of silhouettes was compared with the actual nutritional status. Kapp… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
2

Citation Types

0
0
0
8

Year Published

2022
2022
2022
2022

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 2 publications
(19 citation statements)
references
References 20 publications
(19 reference statements)
0
0
0
8
Order By: Relevance
“…Os fatores socioeconômicos foram citados em 38,46% dos estudos com a opinião variante dos autores entre apresentar maior poder aquisitivo como fator positivo para diminuição dos números de obesidade infantil e entre um menor poder aquisitivo resultar em um maior IMC. O fator socioeconômico pode ser considerado como inconclusivo quando comparados os demais estudos [1][2][3][4][5][6][7][8][11][12][13][14][15] .…”
Section: Metodologiaunclassified
See 4 more Smart Citations
“…Os fatores socioeconômicos foram citados em 38,46% dos estudos com a opinião variante dos autores entre apresentar maior poder aquisitivo como fator positivo para diminuição dos números de obesidade infantil e entre um menor poder aquisitivo resultar em um maior IMC. O fator socioeconômico pode ser considerado como inconclusivo quando comparados os demais estudos [1][2][3][4][5][6][7][8][11][12][13][14][15] .…”
Section: Metodologiaunclassified
“…Em consequência, a diminuição da ingestão desses alimentos pode ser relacionada a uma maior introdução de alimentos altamente energéticos e com baixo teor nutricional. Em relação ao gênero como uma variante no excesso de peso na infância ou obesidade abdominal, 38,46% afirmam que meninos formam o grupo mais afetado, 7,69% defendem a mesma condição relacionada a meninas e 53,85% não especificaram o objeto de estudo nessa variante [1][2][3][4][5][6][7][8][11][12][13][14][15] .…”
Section: Metodologiaunclassified
See 3 more Smart Citations