2018
DOI: 10.22409/1984-0292/v30i1/1499
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: A profusão de imagens fotográficas de pessoas no mundo contemporâneo revela um vastíssimo espectro de possibilidades de significar a condição humana. As fotografias de pessoas com deficiência figuram entre essas possibilidades, revelando as transformações do significado da deficiência no contexto histórico-cultural. Tendo em vista que a sexualidade também é um dos modos possíveis de objetivar-se no mundo e que poucos estudos tratam de modo crítico e emancipador da relação sexualidade e deficiência, este artigo… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
1

Year Published

2020
2020
2020
2020

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(1 citation statement)
references
References 12 publications
(1 reference statement)
0
0
0
1
Order By: Relevance
“…O contexto de infantilização é visto principalmente em relação às mulheres, posto que características socialmente ligadas à feminilidade como o ser meiga, frágil, dócil e dependente se potencializam quando deficiência e gênero se interseccionam, sobretudo quando se refere a aspectos da sexualidade, tendo a mídia como reforçador do estigma (Gesser et al, 2013;Luiz & Nuernberg, 2018). Além disso, a visão de que a mulher com deficiência ocupa uma posição de menor qualificação e de reduzida participação social e política, visão esta já historicamente ligada às relações de gênero desiguais com ou sem deficiência, dificulta ainda mais a aquisição de recursos que contribuam para a autonomia, e desenvolvimento do planejamento de vida como trabalho, cultura, lazer, sexualidade a vivência da maternidade (Nicolau, Schraiber, & Ayres, 2013).…”
Section: Discussionunclassified
“…O contexto de infantilização é visto principalmente em relação às mulheres, posto que características socialmente ligadas à feminilidade como o ser meiga, frágil, dócil e dependente se potencializam quando deficiência e gênero se interseccionam, sobretudo quando se refere a aspectos da sexualidade, tendo a mídia como reforçador do estigma (Gesser et al, 2013;Luiz & Nuernberg, 2018). Além disso, a visão de que a mulher com deficiência ocupa uma posição de menor qualificação e de reduzida participação social e política, visão esta já historicamente ligada às relações de gênero desiguais com ou sem deficiência, dificulta ainda mais a aquisição de recursos que contribuam para a autonomia, e desenvolvimento do planejamento de vida como trabalho, cultura, lazer, sexualidade a vivência da maternidade (Nicolau, Schraiber, & Ayres, 2013).…”
Section: Discussionunclassified