2018
DOI: 10.1590/1413-812320182311.27812016
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Resumo O objetivo deste estudo foi discutir as estratégias pedagógicas destinadas às mulheres para institucionalização da representação do parto normal a partir da obra Parto Natural: Guia para os futuros pais, publicada em 1955. Partiu-se de uma análise histórica e cultural desse livro em suas edições publicadas nos anos de 1955, 1957, 1960 e 1964, auxiliada por materiais publicados à época que compartilhavam das mesmas significações e representações referentes às questões do parto no contexto brasileiro. Ess… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1

Citation Types

0
0
0
5

Year Published

2019
2019
2022
2022

Publication Types

Select...
4
1

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(5 citation statements)
references
References 10 publications
(13 reference statements)
0
0
0
5
Order By: Relevance
“…Intervenções como: restringir a parturiente em posição, exercer a Kristeller e romper as membranas não favorecem as boas práticas e a redução de danos e morte materna, fetal e neonatal. É preciso romper com a ideia falsa e constante de procedimentos obstétricos na intenção de definir, interferir ou adiantar o processo fisiológico da parturição, sendo preciso retomar as práticas históricas que fazem do parto um evento natural (Ayres, et al, 2018;Seijmonsbergen-Schermers, et al, 2020).…”
Section: Discussionunclassified
“…Intervenções como: restringir a parturiente em posição, exercer a Kristeller e romper as membranas não favorecem as boas práticas e a redução de danos e morte materna, fetal e neonatal. É preciso romper com a ideia falsa e constante de procedimentos obstétricos na intenção de definir, interferir ou adiantar o processo fisiológico da parturição, sendo preciso retomar as práticas históricas que fazem do parto um evento natural (Ayres, et al, 2018;Seijmonsbergen-Schermers, et al, 2020).…”
Section: Discussionunclassified
“…O parto, historicamente assistido apenas por mulheres era vedado aos olhares masculinos. Relatos do nascimento de Luís XV descrevem que o seu pai Luís XIV, rei de França, determinou que a sua mãe tinha que parir deitada para que ele, escondido, pudesse observar melhor o nascimento do seu filho, e que, a partir daí, esse método se espalhou pela Europa e depois pelo mundo (Ayres, 2018). Facto é que desde o século XVII que a posição de litotomia se tornou a eleita e habitual na assistência ao parto, uma vez que progressivamente os médicos obstetras procuravam formas de ter maior acessibilidade e visibilidade durante o trabalho de parto.…”
Section: Introductionunclassified
“…Assim sendo, espera-se que o sentimento de medo do parto, especificamente, seja uma das tantas questões abordadas durante o pré-natal. O conhecimento, o resgate do protagonismo da mulher e sua família e, a garantia de um atendimento seguro são ferramentas que certamente Research, Society andDevelopment, v. 9, n. 9, e375997076, 2020 (CC BY 4.0) | ISSN 2525-3409 | DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7076 auxiliam na diminuição do medo, proporcionando assim, o aumento do índice de nascimentos naturais e humanizados (Ayres, Henriques & Amorim, 2018).…”
Section: Introductionunclassified