volume 17, issue 1, P127-138 2015
DOI: 10.1590/s1517-106x2015000100009
View full text
|
|
Share

Abstract: Universidade Federal FluminenseNiterói, RJ ResumoEste ensaio é uma leitura do texto de Derrida O animal que logo sou (A seguir) e uma reflexão sobre os possíveis usos da expressão animal-estar para a descrição dos desafios contemporâneos da estética. Assim, ao investigar o desconforto subjetivo envolvido no gesto de ultrapassar a fronteira entre homem e animal, e de desterritorializar o pensamento, o estudo se debruça sobre os efeitos da anulação da distância esté-tica e sobre a exacerbação do componente "sen…

Expand abstract