volume 11, issue 1, P148-165 2009
DOI: 10.1590/s1517-106x2009000100012
View full text
|
|
Share

Abstract: IntroduçãoPara discutir a questão das relações entre língua, discurso e política, é preciso primeiro saber o que é política. Os universos discursivos historicamente determinados fornecem categorias que permitem fazer um uso intuitivo desse termo: por exemplo, fala-se em greve política em oposição a uma greve reivindicativa; fala-se em Comissão Parlamentar de Inquérito política, quando se diz ou se insinua que sua motivação não é o exercício do poder fiscalizador do parlamento, mas é o jogo eleitoral. Nesse se…

Expand abstract