volume 11, issue 1, P130-147 2009
DOI: 10.1590/s1517-106x2009000100011
View full text
|
|
Share

Abstract: O trabalho apresenta uma leitura do romance de Guimarães Rosa de 1956 do ponto de vista de uma série de topoi desenvolvidos dentro da teoria da confissão e do testemunho: Riobaldo testemunha passagens de sua vida diante de um ouvinte/dos leitores. A violência do sertão, derivada em parte do jogo entre a anomia e a lei da força, desdobra-se nas angústias derivadas do amor impossível por Diadorim. Como em muitos textos de forte "teor testemunhal", a fragmentação da memória e a sua espacialização guiam o fluxo da…

Expand abstract