volume 11, issue 1, P35-47 2009
DOI: 10.1590/s1517-106x2009000100004
View full text
|
|
Share

Abstract: Este texto procura mostrar como Patrick Chamoiseau (nascido na Martinica em 1953) empreende uma reescrita dos afetos e arquivos da escravidão no romance Un dimanche au cachot (2007), dando continuidade a uma temática que já aparecia em obras precedentes. Ele efetua um trabalho de perlaboração, no sentido freudiano, ao rememorar uma história como meio de curar o trauma que foi recalcado. Chamoiseau mistura história e ficção ao tentar recriar de modo não realista um certo ambiente durante o período escravista, i…

Expand abstract