volume 4, issue 1, P79-107 1998
DOI: 10.1590/s0104-93131998000100004
View full text
|
|
Share

Abstract: Os anos compreendidos entre 1935 e 1938, quando Lévi-Strauss é professor na recém-criada Universidade de São Paulo, não parecem ter despertado a atenção dos intérpretes e historiadores das ciências sociais durante longo período. É, de fato, a partir da década de 80 que se observa uma espécie de resgate dessa história até então "esquecida". A morte de Fernand Braudel e a volta de Claude Lévi-Strauss ao Brasil, integrando a comitiva do presidente Mitterrand, em 1985, são responsáveis por uma série de artigos, n…

Expand abstract