volume 9, issue 20, P265-302 2003
DOI: 10.1590/s0104-71832003000200014
View full text
|
|
Share

Abstract: O presente artigo mostra como, na primeira metade do século XX, os esforços dos fundadores da antropologia francesa visavam a organizar e racionalizar o sistema de divisão do trabalho do conhecimento pela separação e coordenação entre cientistas acadêmicos e etnógrafos voluntários. Esse sistema contrasta com a imagem romântica e mais corriqueira do antropólogo isolado, e que corresponde ao caso britânico, no qual se deu um esforço no sentido da inserção do cientista no campo e a "profissionalização" foi acompa…

Expand abstract