volume 27, issue 103, P426-447 2019
DOI: 10.1590/s0104-40362018002601254
View full text
|
|
Share

Abstract: Resumo O presente artigo propõe-se a examinar os modos pelos quais a individualização dos percursos formativos é posicionada enquanto um princípio organizador das políticas curriculares para o Ensino Médio implementadas no Brasil, ao longo desta década. Ao inscrever-se no campo dos Estudos Curriculares, descreve e analisa como a escolarização juvenil passa a ser redimensionada no âmbito de diferentes “surtos individualizatórios”, intensificados nas condições de uma “economização da vida social” e da visibiliza…

Expand abstract