volume 28, issue 55, P171-195 2008
DOI: 10.1590/s0102-01882008000100009
View full text
|
|
Share

Abstract: O presente artigo aborda a expulsão dos jesuítas da Bahia, enfocando o confisco do seu patrimônio e a venda de suas principais propriedades entre os anos de 1758 e 1763. Em meio à crise enfrentada pela Companhia de Jesus em Portugal na década de 1750, a questão de seu expressivo patrimônio e de sua suposta riqueza mostrou-se fundamental. Ela não se dissocia, no entanto, do amplo conjunto de medidas que configuraram uma verdadeira reforma política do Estado português na segunda metade do século XVIII, a partir …

Expand abstract