volume 31, issue 110, P57-71 2010
DOI: 10.1590/s0101-73302010000100004
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: O texto busca argumentar que as pesquisas no/do/com o cotidiano escolar implicam decisões epistemológicas e políticas, constituem um movimento antidisplinador dos saberesfazeres e caracterizam uma atitude em favor do pensamento alargado e da vida ativa. A partir de uma provocação de Ferry (2007), "filosofamos para salvar a nossa pele", o texto defende a existência de um enredamento entre produção de conhecimentos, negociação de posturas éticas e atribuição de sentidos para a existência humana. Situa a produção…

Expand abstract