volume 25, issue 87, P353-382 2004
DOI: 10.1590/s0101-73302004000200004
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: Este artigo procura refletir sobre a pertinência histórica e analítica do conceito de "qualificação do trabalho", em um contexto social que tem demandado a sua substituição pela noção de "competência". Para isso, busca compreendê-lo do ponto de vista teórico, tendo por base o pensamento de Georges Friedmann e Pierre Naville (especialmente o deste último), os pais da sociologia do trabalho na França, no pós-guerra. É nesse país e nesse período que a qualificação começa a adquirir centralidade: ela se torna não …

Expand abstract