volume 36, issue 131, P325-341 2015
DOI: 10.1590/es0101-73302015137308
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: RESUMO:O ensaio busca justificar a intersubjetividade do grupo como formação humana solidária e cooperativa. Aborda o reconhecimento como força motriz de formação do grupo, deixando claro que é por meio do reconhecimento alcançado no grupo social que o ser humano confirma valores centrais à formação de sua individualidade, como autoconfiança, autorrespeito e autoestima. Na sequência, volta-se para os traços da idealização metódica de grupo delineada por Axel Honneth com base na noção de objeto transicional de…

Expand abstract