volume 35, issue 128, P951-966 2014
DOI: 10.1590/es0101-73302014121543
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: No presente artigo procuraremos analisar criticamente a proposta das clínicas de higiene mental escolar criadas nas primeiras décadas do século XX por Durval Marcondes em São Paulo e Arthur Ramos no Rio de Janeiro. O objetivo das clínicas escolares era receber as crianças tidas como incapazes de aprender. O estudo das respectivas propostas de intervenção na escola por meio da higiene mental e da psicanálise nos permitiu identificar o conceito de infância, família e educação. A pesquisa desenvolvida utilizou co…

Expand abstract